21 de março de 2015

A Mulher de Preto 2: Anjo da Morte, por Martyn Waites

Avaliação: 4,5/5
Editora: Record
ISBN: 9788501103215
Gênero: 
Terror/Suspense
Publicação: 2015
Páginas: 304

Skoob
O livro A Mulher de Preto 2: Anjo da Morte foi publicado pelo americano Martyn Waites, e estreou no cinema há pouco menos de um mês aqui no Brasil!

Primeiramente, devo dizer, as edições de livros da editora Record são PERFEITAS! Ganhei esse livro como cortesia, juntamente com O Inquisidor, e sinceramente, são livros lindos, com letras especiais para cada um, que até deixa a gente com aquela vontade de ler, só por saber que foram bem feitos e bem cuidados (hahaha).

De qualquer forma, como eu ia dizendo, A Mulher de Preto 2 estreou há pouco tempo nos cinemas do Brasil (e, me invejem, porque tive a oportunidade de ir com minha namorada de graça!). Pelo que parece, esse segundo livro foi escrito por um autor diferente do primeiro, mas isso realmente não importa, e sim a história em si. Sem mais delongas, vamos à ela.

A história se passa na Inglaterra, durante a segunda guerra mundial (1939-1945). É interessante como o narrador descreve as cidades inglesas daquela época, porque é bom saber como é o contexto social em uma guerra. Tenho certeza que ele teve de fazer muitas pesquisas para escrever o livro. Para aqueles que amam história como eu, é legal ler um livro e conseguir imaginar os detalhes que estão sendo escritos, tentando buscar uma memória em sua mente, mesmo que vaga, mas que te possibilite lembrar das suas aulas de história no ensino médio – da até saudade dessa época. Da época em que eu pensava que seria super duper divertido ser adulto – que tolo eu fui.

Enfim... O foco principal da história está em um grupo de crianças que por motivos diversos estão deixando a cidade para ir para a zona rural, em busca de mais segurança. Na época em que se passa a história, os bombardeios alemães eram rotina, e geralmente as crianças eram mandadas para longe da cidade para se proteger. Entre essas várias crianças que iremos conhecer, uma se destaca: Edward (o menino mais sinistro do mundo literário dos últimos trocentos anos). Falando nisso, pra quem viu o filme e ainda não leu o livro, preparem-se, porque Edward tem pontos de vista nessa história! 

É narrado para nós quando ele vê uma bomba atingir a casa em que sua mãe estava. Em outras palavras, o ponto de vista da história está com ele quando sua mãe morre, e nós conseguimos notar a infantilidade daquela pessoinha sinistra.

O que acontece é que Edward se junta com os garotinhos da cidade que se tornarão garotinhos da zona rural e lá ele recebe todo o amor e atenção do mundo da Senhorita Parkins (a mulher mais sinistra do mundo literário dos últimos trocentos anos). Mas sinistra de um modo diferente, e vocês irão entender o porquê.

Edward é sinistro porque é sinistro. A senhorita Parkins é sinistra porque gosta do sinistríssimo (é assim que se escreve) do sinistro do Edward. Hm, isso faz sentido? Pois fará.
Sem mais delongas (prometo que encontrarei outra expressão para sem mais delongas, que não seja sem mais delongas), a senhorita Parkins, juntamente com a rabugenta da senhorita Jane vão para uma casa (a casa mais sinistra do mundo literário dos últimos trocentos anos) abandonada no meio de uma zona rural. No meio do caminho, Parkins se torna amiga de um homem da aeronáutica inglesa (ou pelo menos é isso que ele diz).

A história irá se desenrolar assim: a senhorita Parkins tem uma caidinha pelo garanhão do exército, enquanto isso, os alunos conhecem a casa abandonada, sinistra e tudo mais, e ela passa a notar coisas estranhas na casa, como sombras que se movem, barulhos vindos do além, sonhos esquisitos e... É, tem mais coisa, mas você vai descobrir.

Quando eles se mudam para lá, percebem que há muita coisa estranha. E o mais legal, é que temos o ponto de vista de várias pessoas dentro da casa, além de Edward e da senhorita Parkins. Temos inclusive, o ponto de vista de uma coisa sinistra (sinistra de verdade) e que cada um vai interpretar de um jeito. No fim, acho que a decisão vai ser unânime, mas tenho certeza que quem viu o filme vai gostar muito da variedade dos pontos de vista que nos é apresentado. É uma história que tem muita ação (os capítulos são curtos), muita emoção (vai rolar alguma coisinha entre o piloto garanhão e a senhorita Parkins, mas no fim você vai se irritar) e também de muito amor verdadeiro, entre a senhorita Parkins e Edward (na realidade, é sinistro a senhorita Parkins gostar dele, mas há uma explicação). Para quem viu o filme: nunca vi uma adaptação tão fiel, então aproveitem!

Uma observação: não leia a noite. Derrubei energético no meu livro lindo porque meu irmão abriu a porta do meu quarto. Eu simplesmente taquei tudo pra cima. Então, sei lá, é só uma dica. Achei que fosse a mulher de preto que matava e fazia a cabeça das criancinhas da zona rural...Ops. 

Um comentário:

  1. Assisti o filme 1 e gostei da história. Bom saber que tem o livro 1 e 2, já querendo ler, assistir. Gostei muito da dica.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




LAYOUT DESENVOLVIDO POR VIAGENS DE PAPEL – NÃO COPIE, CRIE! – COPYRIGHT © 2015