12 de maio de 2015

Resenha Dupla: O Diário de Anne Frank, de Anne Frank

Avaliação: 5/5
Editora: Record / Cortesia
ISBN: 9788501044457
Gênero: Biografia/Memória
Publicação: 2015
Páginas: 352
Skoob
Pensando em trazer novas opiniões e apresentar para vocês novos olhares a partir de uma mesma obra, está resenha seguirá um formato diferente. Logo abaixo, vocês encontrarão duas opiniões a respeito do diário escrito por Anne Frank e publicado após seu falecimento. 

Camila - texto em itálico
Patrícia - texto normal

Há alguns anos O Diário de Anne Frank fazia parte da minha lista de livros a serem lidos. Sou fascinada por histórias sobre a 2ª Guerra Mundial, e a história da pequena Anne desde sempre me chamou a atenção. Apesar de não conhecer os detalhes de sua vida, sempre soube da importância de seu relato sobre esse período sombrio da história. Este ano, iniciei o desafio “Lendo mais clássicos em 2015”, e o livro não poderia deixar de constar entre os meus escolhidos.

O Diário de Anne Frank encontra-se em sua edição definitiva, inicialmente seu pai, Otto Frank, para honrar a memória e o desejo da filha de publicar seu diário – que foi escrito entre 12 de junho de 1942 e 1º de agosto de 1944, em sua totalidade enquanto vivia no Anexo Secreto com mais sete pessoas –, selecionou o material referente as versões a e b, sendo a primeira versão a original e a segunda redigida por Anne um tempo depois. Na atual edição estão presentes todos os detalhes antes não divulgados, incluindo os trechos censurados por Otto Frank e a real identidade dos residentes do anexo, o livro se manteve fiel ao relato escrito pela adolescente.

A obra retrata os horrores vividos por Anne Frank durante a 2ª Guerra Mundial, nessa época os judeus foram perseguidos e quase erradicados pelo exército de Hitler. Enquanto as tropas nazistas avançavam e novas leis eram criadas para controlar a praga que se alastrava pelo planeta, Otto Frank se preparava para o pior, enquanto uma parcela dos judeus era capturada ou tentava fugir para outras localidades, o patriarca da família Frank tinha um plano, em 9 de julho de 1942, eles se mudaram para o Anexo Secreto, um esconderijo.

O Diário de Anne Frank nos apresenta os pensamentos mais íntimos da garota judia de 13 anos, que teve sua vida, assim como a de muitos outros, revirada ao sofrer a perseguição dos nazistas, que, liderados por Hitler, acreditavam que a população deveria ser composta apenas por arianos. Os judeus foram os que mais sofreram com a situação e milhões de vidas foram dizimadas. 

Durante um período de dois, a família Frank e seus amigos se mantiveram em segurança, refugiados em um prédio de Amsterdam, na Holanda, situado na mesma cidade onde moravam. No anexo abrigaram-se a família Frank (Anne, sua irmã Margort e seus pais), a família Van Daan (composta por três pessoas, o Sr. e a Sra Van Daan e o seu filho Peter) e por último o Dr. Dussel. Enquanto permaneceram escondidos, eles obtiveram ajuda de quatro pessoas do escritório, onde o pai de Anne trabalhava, o local foi providenciado por Miep e Sr. Kugler, a secretária e um sócios da empresa, e ainda contavam com o apoio de outras pessoas, dessas apenas Bep e Sr. Kleiman aparecem com maior destaque nos relatos de Anne.

O diário contempla cerca de dois anos de pensamentos de Anne. Aos 13 anos, ela era uma das garotas mais populares da escola. Extrovertida, falante, inteligente e com uma personalidade extremamente forte, ela tem que deixar tudo para trás para ir, com a família, ao Anexo Secreto, local no escritório do pai que se torna o esconderijo da família e dos amigos.

Anne Frank, que antes vivia flertando e tinha uma vida agitada, passará por momentos difíceis ao ter que ficar “enclausurada”. No anexo viviam oito pessoas. Além das dificuldades de relacionamento, por muitas vezes eles tinham que enfrentar a falta de comida, a falta de auxílio médico, além de terem de permanecer quietos e no mesmo lugar por longos períodos de tempo para que não fossem descobertos.

Na manhã do dia 4 de agosto de 1944, três dias após a última anotação de Anne em seu diário, aliás, a adolescente escreveu uma auto avaliação de si mesma, o anexo foi descoberto e seus residentes foram presos e levados para o campo de triagem em Westerbork, sendo separados e seguida deportados para diferentes campos de concentração.

Durante esse trágico período da história da humanidade, muitos judeus fugiram para outros países, inclusive para o Brasil. Infelizmente do oitos residentes do anexo, apenas o pai de Anne sobreviveu ao holocausto.  Kugler e Kleiman foram presos por traição, já Miep e Bep tiveram sorte e permaneceram livres. O Diário de Anne Frank, em sua edição definitiva, foi publicado com o apoio de Otto Frank e da escritora Mirjam Pressler.

Durante o período em que se dedica ao diário, é notável a evolução e amadurecimento de Anne. Quando chegou ao anexo, ela estava acostumada a receber atenção constante e era a “dona da verdade”, sempre questionando os que pensavam diferente dela. Em vários momentos ela exprime em seu diário atitudes egoístas e mesquinhas, mas também faz reflexões sobre as dificuldades enfrentadas e sobre a guerra em geral, que demonstram o quanto ela era inteligente e se tornou madura para a idade. Enquanto uma criança de 13 anos deveria ter preocupações triviais, como garotos, amizades e escola, ela e milhares de garotas da mesma idade estavam tendo suas infâncias e adolescências roubadas. A preocupação dela era proteger a si mesma e a família para que não fossem descobertos e mortos. 

Anne não teve uma adolescência comum, mas comparada a outros judeus, sua família viveu bem, enquanto escondidos. Embora cativos, tinham uns aos outros, comida e um local confortável para ficarem, ainda assim, as regras de convivência e sobrevivência eram rígidas. Anne amadureceu muito no período que viveu no anexo, apaixonou-se e encontrou conforto enquanto escrevia e redigia seu diário.

As reflexões feitas por Anne sobre a guerra demonstram a intolerância que havia na época. Ela é apenas uma das pessoas que teve sua vida revirada, que foi perseguida sem ter feito nada de errado, apenas pela religião. A 2ª Guerra Mundial é um pedaço sombrio da história e O Diário de Anne Frank retrata um pouco disso, por meio das impressões de uma garota que tinha um grande futuro pela frente, mas que infelizmente foi interrompido por discursos de ódio. 

O Diário de Anne Frank é ao mesmo tempo perturbador, doloroso, reflexivo, inspirador e envolvente. Os relatos de Anne, escritos em formas de cartas e dirigidas a Kitty - nome que deu ao seu diário, um presente que recebeu de sua avó em seu 13º aniversário, antes de precisarem se refugiarem no anexo -. O livro possui uma linguagem clara e direta, o que torna a leitura fácil de compreensão, Anne tem um vocabulário diversificado e apresenta muita maturidade para pouca idade.

Por ser uma personagem real, Anne Frank provoca uma identificação e empatia muito grande no leitor. É impossível não pensar como seria se estivéssemos no lugar dela. A partir desse questionamento, é fácil concluir o quão forte foi a menina e nutrir um grande sentimento de admiração por ela. Terminei a leitura do livro pensando porque não havia feito isso antes. Com certeza, é um relato que deve ser lido por todos. Além de retratar um período da história, alerta para os perigos da humanidade, que por vezes pode ser cruel, e gera a possibilidade de se colocar no lugar do outro, quebrando preconceitos e promovendo diversas reflexões. 

“Não poder sair me deixa mais chateada do que posso dizer, e me sinto aterrorizada com a possibilidade de nosso esconderijo ser descoberto e sermos mortos a tiros. ”
“Quando escrevo, sinto um alívio, a minha dor desaparece (...). ”
"Quero continuar a viver depois da minha morte."  

44 comentários:

  1. Eu estou para comprar a edição mais recente que saiu, pois quero muito ler esse livro. Adorei a forma como foi colocada as duas opiniões que pareciam se complementarem. Foi uma ótima ideia. Bjs

    Território nº 6

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gleyse! Leia mesmo, é maravilhoso. Que bom que gostou do formato da resenha =) Beijos

      Excluir
  2. Eu li esse livro há uns quatro anos atrás e me apaixonei completamente. Os relatos dela são muito emocionantes e é incrível a esperança interminável que ela nutre dentro de si. Em alguns momentos em que eu pensava que seria o fim, lá estava Anne sendo positiva. Apaixonante! Espero muito poder comprar a versão nova.

    Beijos!
    www.palavrasradioativas.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Realmente, é impossível não se emocionar com o livro. Ela, mesmo nos momentos mais difíceis, era otimista. Acho que é um relato super válido para a gente parar de reclamar sobre coisas insignificantes e valorizar mais a vida. Beijos!

      Excluir
  3. Olá!
    Eu li esse livro quando tinha a mesma idade de Anne e li o ano passado de novo, até comprei a edição de luxo da editora. Acho que é um dos melhores livros que já li e adorei a sua resenha super completa e com duas opiniões que se completam muito!
    Beijos!

    LuMartinho |Face

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A edição de luxo também é maravilhosa <3 Sempre fico babando. O livro é realmente incrível. Muito obrigada pelo elogio, ficamos felizes que tenha gostado do formato. Beijos!

      Excluir
  4. Eu sou louca para ler esse livro e conhece a casa onde ela viveu. Acho uma história muito fascinante e repleta de relatos recheados de emoção. Contudo, eu tenho por mim que é uma leitura pesada, no momento que estou agora, e irei adiar por alguns meses a leitura dele....
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luanna. O livro é maravilhoso, mas é um pouco pesado sim. Até porque é impossível não se colocar no lugar dela e pensar em tudo que ela viveu :\ Só não esqueça de realizar a leitura, pois vale muito a pena! Beijos

      Excluir
  5. Esse livro é lindo, forte instigante e informativo. Uma das melhores leituras que já fiz, o final foi doloroso. Indico para meus alunos.
    http://www.poesianaalma.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lilian. Realmente, é sensacional. Acho que todos deveriam ler um dia. Beijos!

      Excluir
  6. Oi, tudo bem?
    Li O Diário de Anne Frank no ano passado e foi uma leitura muito linda!
    É incrível acompanhar os relatos dessa menina tão jovem mas ao mesmo tempo tão inteligente e corajosa! Fiquei impressionada no quanto Anne era a frente do seu tempo.
    Espero reler esse livro daqui uns anos, pois é um livro maravilhoso e merece ser sempre relido.

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maiara. Tudo bem e contigo? Impossível não admirar Anne, não é mesmo? Ela é incrível e muito mais lúcida do que vários alemães da época. Com certeza também farei a releitura desta obra incrível. Beijos!

      Excluir
  7. Oiii.
    Meninas que resenha mais perfeita.
    Com certeza a mais linda que já li.
    Eu sou louca para ler O Diario de Anne, mas ainda não tive a oportunidade.
    Mas com certeza vocês me convenceram de ler o livro ainda esse ano.
    Amei cada detalhe relatado aqui, amei mesmoooo.
    Parabéns.
    Beijos

    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2015/05/resenha-amor-e-ordem-o-despertar.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Que palavras lindas, muito obrigada pelo elogio, ficamos muito felizes! Que bom que transmitimos bem as opiniões sobre este livro maravilhoso. Leia mesmo, pois é incrível. Espero que você goste tanto quanto nós! Depois venha nos contar =) Beijos

      Excluir
  8. Eu tenho a edição pocket desse livro, mas ainda não o li… Sim, uma vergonha. Tenho a intenção de lê-lo e, assim como vocês, me emocionar com o relato de uma garota tão jovem (cheia de vida, de perspectivas, de descobertas…) sobre os horrores da guerra e o pavor de morrer e perder a quem ama. Eu não sabia que Anne havia sido uma menina tão popular e que, em certa medida, mantinha um pouco da arrogância própria de um adolescente. Isso apenas a fez mais real para mim, menos idealizada. Gostei da informação.
    Acho que vou investir dessa edição maravilhosa que leram!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vergonha nada, Francine =) Sempre é tempo haha Acho difícil não se emocionar. O relato é muito forte, pois se trata dos planos e esperanças de uma garota de 13 anos e já sabemos seu destino :\ Também me surpreendi ao começar a ler e descobrir uma garota irreverente, sem papas na língua. Espero que você goste da leitura tanto quanto nós. Beijos!

      Excluir
  9. Olá!
    Ta aí um livro que eu acho que todos deveriam ler. O livro é um dos meus favoritos.
    Li há três anos e me encantei com a história da menina que apesar de tudo o que passou nunca perdeu a esperança. E como ela escrevia bem! Tenho muita admiração por ela!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline. Concordo. Todos deveriam realizar a leitura um dia, é incrível. Com certeza farei a releitura algum dia. Beijos!

      Excluir
  10. Essa resenha dupla ficou maravilhosa! Ainda não li o livro, mas pretendo ler. É muito triste saber que tantas pessoas sofreram tanto quanto Anne. Uma fato que descobri lendo livros sobre o assunto, é que a pessoa nem praticar o judaísmo para ser perseguida, bastava ser descendente de um judeu.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Muito obrigada pelo comentário, que bom que gostou do formato =) Leia mesmo, é um livro maravilhoso. Pois é, não foram só os judeus que sofreram perseguição, as outras minorias, como negros e homossexuais, também :\ Beijos

      Excluir
  11. Olha eu nunca na vida li nada sobre a história de Anne Frank. Dizem que é lindo e ao mesmo tempo muito triste, mas eu sinceramente não sou chegada nesses livros que falam de guerra e tudo mais. Mas mesmo assim tenho curiosidade de conhecer. Acho que é um clássico né? Até porque tem feito bastante sucesso entre os leitores e espero poder ter a chance de fazer a leitura. Adorei tudo que abordou sobre o livro, até porque acho que tu escreve muito bem. PARABÉNS

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/05/resenha-para-todos-os-garotos-que-ja.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Silvana. O livro nos alerta para a crueldade da humanidade, ajuda a relembrar tudo o que houve de terrível para que isso nunca mais se repita. Por isso considero uma leitura importantíssima. Mesmo que você não goste de histórias de guerra, dê uma chance, pois foca mais no dia a dia e nas fortes opiniões da menina. Muito obrigada pelo comentário! Ficamos felizes que tenha gostado da resenha =) Beijos

      Excluir
  12. Eu li esse livro na minha adolescência. Confesso que algumas coisa não consegui pegar. Eu uma leitura densa, dolorosa. Acho o que o leitor precisa ter maturidade para perceber tudo o que vocês pontuaram na resenha. Que, aliais, me deixou com vontade de ler essa edição.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nilda. Realmente, é um tema que demanda maturidade. Acho que esse é um livro para sempre se revisitar, aposto que a cada leitura traz novas nuances e reflexões. Beijos!

      Excluir
  13. Oie como vai?
    Sou mega curiosa pra ler esse livro, desde o ensino médio na verdade, mas tenho um pouco de medo porque dizem que vou chorar horrores e que muitas vezes a leitura é bem parada por ser um diário, quero tirar um tempinho pra comprar e ler.

    http://mylittlegardenofideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Não cheguei a chorar durante a leitura, mas é mesmo um relato forte e emocionante. Quando tiver a oportunidade, leia, pois você não vai se arrepender =) Beijos

      Excluir
  14. Li esse ano o livro e simplesmente amei!! *-*
    É uma história emocionante. Não achei que a narrativa ia se passar toda naquela casa, achei que tinha algo nos campos também, mas nunca tinha lido direito sobre a Anne.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dessa. É mesmo um livro maravilhoso. Eu também me surpreendi e fiquei morrendo de curiosidade para saber o que aconteceu depois deles serem descobertos, queria saber os pensamentos da Anne nessa época também :\ Você viu que a Universo dos Livros lançou um livro recentemente sobre o que acontece depois? Se chama "Os sete últimos meses de Anne Frank". Estou louca para ler. Beijos!

      Excluir
  15. As vezes me sinto meio que um et por nunca ter lido esse livro. Embora adore a temática da segunda guerra, nunca me senti muito atraída por esse livro, talvez por ser um diário, e ser real eu tenha algum receio de sofrer demais com a personagem. E também por que né, se fala tanto que nem sei se vou absorver algo novo. Vou cultivar em mim essa ideia de leitura e ver se no futuro leio a obra.

    http://www.livrologias.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também me sentia, Camila haha O livro sempre me chamou a atenção. Acho que você devia dar uma chance à obra. Por mais que a história dela já seja conhecida, ler seus pensamentos mais profundos dá outra noção. Alguns trechos são de uma lucidez incrível, mostram o quanto ela tinha mais noção sobre o que estava acontecendo do que muitas outras pessoas que viveram a época. Beijos!

      Excluir
  16. Oi meninas!
    Adorei a resenha dupla de vocês, ficou incrível! Parabéns!
    Não consigo pensar em Anne Frank sem sentir uma dorzinha no meu coração. Ainda não peguei o livro pra ler, mas quando vi o filme chorei tanto e fiquei tão sentida com a história... A resenha de vocês fez renascer a vontade de saber mais sobre Anne, quem sabe eu não pegue o livro pra ler em breve?
    Beijos
    Carol
    www.sobrevicioselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol! Muito obrigada pelo comentário =) Ainda não vi o filme, mas preciso me preparar psicologicamente para isso :\ haha Também deve ser muito emocionante. Espero que você leia e goste tanto quanto nós. Beijos!

      Excluir
  17. Oi, tudo bem?
    Adoro ler resenhas duplas!!
    Mas essa é uma leitura que não me interessa pois foge do tema que gosto de ler.
    Bjs

    A. Libri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angélica. Que pena! É um livro maravilhoso, você deveria dar uma chance. Beijos

      Excluir
  18. Oi!
    Esse é um dos livros que mais tenho vontade de ler, mas sempre acabo adiando por conta do tema bastante pesado e que com certeza me afetará bastante. Mas o livro está entre os meus desejados e quero adquirir a nova edição que está linda! Adorei a resenha! :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafaelle =) Sou dessas que fica adiando leitura por conta da carga emotiva e do tema pesado também haha Por vezes fico anos querendo ler (ou assistir a algum filme), mas sempre evitando. Só não deixe de criar coragem, pois é uma história muito emocionante e merece ser lida. Beijos!!

      Excluir
  19. Olá!
    Quero tbm ler mias clássicos mesmo não gostando do tema.
    Nessa época muito díficil imagino que o livro deve ser bem triste.
    Não sabia que o pai era o ínico que sobrevivia
    Adorei sua resenha

    http://malucaspor-romances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Às vezes colocamos em nossas cabeças que clássicos são livros chatos, difíceis de ler. Mas isso não poderia estar mais longe da realidade. De fato, alguns são mais complexos, mas muitos deles são de fácil compreensão e trazem histórias e reflexões incríveis. Vale muito a pena se dedicar mais à esses livros =) Beijos

      Excluir
  20. Estou planejando conhecer a casa de Anne Frank, já que o diário dela significa muito pra mim. É uma das obras literárias que eu mais tenho apresso. Por ser real, por ser inspiradora e por me ensinar a ter coragem.
    Sobre clássicos eu tb quero ler mais deles^^
    Excelente resenha.
    Angel Sakura
    www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angel. Também morro de vontade de conhecer a casa dela, saber mais sobre sua vida. Anne Frank é realmente uma grande inspiração. Beijos e obrigada pelo comentário!!

      Excluir
  21. Eu já li inúmeras criticas a este livro e sempre e positivo, nessa resenha dupla ru só comfirmei o quanto este livro é bom, conhecer a história de Anne, mais completa ainda, não há preço... Se hoje é difícil de se viver, imagina naquela época, onde nada havia, se não o Holocausto! Triste saber que houve pessoas que morreram pela ignorância de UM homem, triste! Adorei sua resenha dupla! ;)

    Abraços e até!

    lendoferozmente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luan! Que bom que você gostou da resenha e que te deixamos com vontade de ler o livro. Esperamos que você leia e goste tanto quanto nós :) Obrigada pelo comentário!!

      Excluir
  22. Oie, tudo bom?
    Eu li esse livro há uns dois anos e pretendo fazer uma releitura esse ano. É uma história que faz a gente refletir muito. Eu também sou fascinada por histórias que se passam no período da segunda guerra. São narrativas tristes, mas totalmente reflexivas.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi.Tudo bem?
    Adorei o formato da resenha, ver duas opiniões juntas foi legal. Esse é um livro que está na minha lista desde sempre, é bem parecido com Olga filme e livro e isso já me deixa bem curiosa e eufórica para fazer a leitura. Iria receber um exemplar mas ele não chegou então terei que comprá-lo para fazer minha leitura e espero que seja logo.

    Parabéns pela resenha, ficou bem legal e bem escrita desse jeito.

    bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




LAYOUT DESENVOLVIDO POR VIAGENS DE PAPEL – NÃO COPIE, CRIE! – COPYRIGHT © 2015