15 de setembro de 2015

Resenha: Nu, de botas, de Antonio Prata

Avaliação: 4/5
Editora: Companhia das Letras
ISBN: 9788535923513
Gênero: Crônicas
Publicação: 2013
Páginas: 140
Skoob
No livro Nu, de botas, Antonio Prata nos presenteia com 24 crônicas deliciosas. Em 140 páginas, o autor passeia por lembranças de sua infância, em um relato doce, nostálgico e envolvente. Seus textos narram situações do cotidiano, como as pequenas disputas que haviam entre as crianças do bairro para saber qual delas tinha o brinquedo mais moderno, ou quando Antonio supostamente conversou por telefone com o palhaço Bozo, pediu uma bicicleta, mas não sabia dizer qual era seu endereço.

São crônicas divertidas que retratam a inocência infantil, o jeito de criança, sem papas na língua, que muitas vezes leva a situações muito engraçadas. Além do tom nostálgico, Prata revisita as situações sob a perspectiva de menino, mantendo o olhar curioso sobre os acontecimentos que fizeram com que ele descobrisse a diversidade, o primeiro amor, a amizade, a sexualidade, entre tantas outras coisas.

O autor, além de expor diversas situações, também fala sobre os medos que sentia quando mais novo, como a tensão que é estar em um ambiente com crianças desconhecidas, todas da mesma idade que você, ou quando os pais decidem se divorciar e a confusão que isso causa. Apesar de serem relatos bem pessoais, é difícil não se identificar com os textos, já que traduzem bem essa fase da vida. Quem nasceu na década de 80, com o autor, pode se identificar ainda mais, já que diversos elementos da época estão presentes nas crônicas.

Nu, de botas é um livro envolvente, divertido, emocionante e delicioso de ler. Suas 24 crônicas tornam-se poucas para a vontade que a obra traz de reviver “a aurora da minha vida, a minha infância querida, que os anos não trazem mais”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




LAYOUT DESENVOLVIDO POR VIAGENS DE PAPEL – NÃO COPIE, CRIE! – COPYRIGHT © 2015