13 de novembro de 2015

Resenha: Ligeiramente escandalosos (Os Bedwyns #3), de Mary Balogh

Avaliação: 4/5
Editora: Arqueiro / Cortesia
Gênero: Romance de época
ISBN: 9788580414547
Publicação: 2015
Páginas: 288
Skoob

Talvez não seja segredo para vocês que eu adoro um bom romance de época! Acompanho a série Os Bridgertons (<3) e a série Os Bedwyns desde o seu lançamento. Confesso que com essa segunda eu ainda tinha um pé atrás, sempre demorei um tanto para me conectar com a história, mas tudo mudou com Ligeiramente Escandalosos, meu favorito até então. Fazia tempo que eu não ficava com aquela sensação de coração apertado, de pura identificação com a protagonista e o desejo profundo de que tudo desse certo para o casal e que eles logo encontrassem a felicidade.

Tudo bem que esse gênero não é nada imprevisível. Se você já está acostumado com esse tipo de livro, sabe que no fim a mocinha e o mocinho ficarão juntos e serão felizes para sempre, mas sempre acho sensacional quando a autora, como é o caso de Mary Balogh, consegue deixar o leitor tenso até o fim do livro, desesperado para que o casal logo se entregue à paixão e deixe o orgulho de lado.


Como nos dois primeiros livros da série, essa história de amor parecia que nunca iria dar certo. A protagonista dessa obra é Freyja Bedwyn, que já havia dado as caras nos volumes anteriores. Em um primeiro momento, a moça me pareceu bem antipática e nada humilde. Porém, depois de conhecer um pouco mais sobre sua história de vida, passei a simpatizar com ela. Para resumir: ela teve uma paixão arrebatadora pelo vizinho Kit, mas sua família não permitiu o enlace, desejando que ela se casasse com o irmão mais velho Jerome. Entretanto, Jerome morreu antes do casamento e quando enfim as duas famílias permitiram a união de Freyja e Kit, ele voltou para casa com outra noiva a tiracolo. Ela nunca foi capaz de superar a mágoa e desde então acreditava que não iria amar e ser amada novamente, até porque sempre acreditou que fosse feia.


Logo no início somos apresentados à outra metade dessa história: Joshua, o marquês de Hallmere. Ele também possui uma história de vida sofrida, que vamos descobrindo aos poucos, conforme avançamos nas páginas. Como de costume, na primeira vez que se encontram os mocinhos entram em conflito. Sem saber a identidade um do outro, se conhecem em uma situação nada usual, e as personalidades similares – ácidas e um tanto quanto debochadas, deixam ambos intrigados.



O fato é que os dois acabam se reencontrando na temporada em Bath, passam por mais alguns conflitos, mas acabam iniciando um falso noivado para que Joshua escapasse de um terrível destino: um casamento forçado com uma dama que também não desejava ser sua esposa. Freyja entra na situação mais por divertimento e insolência do que qualquer outra coisa, mas os planos de acabar com a história no dia seguinte não saem como o esperado.


Várias situações inesperadas surgem e fazem com que o rompimento do noivado seja sempre adiado. Enquanto isso, Freyja e Joshua descobrem que a companhia um do outro não é tão insuportável assim, e conforme vão se conhecendo melhor, desnudando o interior um do outro, percebem que cada um possui mágoas do passado que devem ser superadas, e que juntos podem encontrar uma maneira de esquecer o que já aconteceu. Além disso, a atração mútua que sentem é fortíssima, e só contribui para o prolongamento da relação.

Desde o início do livro eu amei esse casal. Confesso que, assim como Freyja, também fiquei com um pouco de raiva de Joshua em seus primeiros encontros, mas, depois, foi só encanto! Ele se mostrou uma pessoa honesta e digna, além de muito solidário. Freyja também transformou a minha opinião. Passou de uma pessoa antipática a alguém que merecia muito ser feliz. Uma das coisas que eu mais gostei no livro foi que, enquanto estavam no falso noivado, os dois faziam de tudo para se ajudar, ser um apoio nos momentos mais difíceis. Mesmo sem perceber, foram ajudando a dissipar as mágoas um do outro, até que só sobrou amor e companheirismo.


A maneira como foi sendo construída a relação do marquês com a irmã do duque foi muito bonita e me arrancou diversos suspiros rs. Eu mal via a hora de que eles caíssem em si e percebessem que o mais natural seria se entregar ao romance, esquecer o que havia sido prometido anteriormente, e deixar de lado a farsa. Demorou mais do que eu esperava, mas o fim da história foi bem satisfatório. Outro ponto positivo da obra é o desenvolvimento dos personagens secundários. Cada um tem sua relevância, além de qualidades e defeitos. Inclusive, quem estava com saudades de Eve e Aidan e de Judith e Ralf, pode esperar novidades desses casais.

Como nos outros livros, levei um tempinho para engrenar na história – esse deve ter levado umas 40 páginas, mais ou menos, mas depois disso a leitura se desenvolveu muito rapidamente. A narrativa é envolvente e esse é até mais divertido do que os outros livros da série, devido aos comentários ácidos e provocações dos protagonistas. Quanto à capa: apesar de não ser nada condizente com a protagonista Freyja, achei muito bonita, a minha favorita da série. Os detalhes no interior do livro também são bem delicados, combinando bem com a história. Para quem aprecia o gênero, é uma ótima indicação.

Ps: vale ressaltar que apesar desse ser o 3º volume, as histórias dessa série são independentes e podem ser lidas fora de ordem.


Por Camila Tebet

6 comentários:

  1. Oi Camila, tudo bem?
    Eu adorei sua resenha, principalmente porque ainda não li nenhum livro dessa série e me deu muita vontade de adquirir os livros. Eu adoro esse gênero, como você disse sabemos que o casal terá seu Feliz Para Sempre, mas eu adoro ler e conhecer como eles conseguiu isso.
    Deixarei sua dica anotada para comprar os livros.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie Camila!!!
    Adorei esse livro!! é até agora o meu preferido da série, lembro que o li antes de ser publicado aqui no Brasil e achei Freyja uma personagem impar, uma das minhas mocinhas favoritas entre o gênero. Adorei a resenha aliás.
    bjs
    www.notinhasderodape.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oii, tudo bem?
    Tenho que confessar que romance de época não é um dos meu gêneros favorito, acredito que a historia ser previsível, mas as vezes as historias são tão fofas que acabam me conquistando. A premissa desse livro é bem interessante, eu gostaria muito de ter a oportunidade de o ler.

    ResponderExcluir
  4. Eu também amo romances de época e me delicio com a leitura deles,eu gosto muito dessa série,apesar de ter achado o primeiro meio frio,mas consigo perceber o estilo de narrativa da autora e ostar muito dele.
    Freija é bem diferente e esse mocinho aí,pareceu ser bem mal caráter no início,mas depois,como você mesma escreveu,a gente se apaixona por eles e só consegue torcer para tudo dar certo logo.

    Adorei a resenha...

    bjsss

    Apaixonadas por Livros

    ResponderExcluir
  5. Você fez uma bela resenha, mas esses romances realmente não funcionam comigo, já tentei ler, achar que poderia estar enganada, mas não deu.. :(

    ResponderExcluir
  6. Oii!

    Amei a sua resenha flor! Mas infelizmente esses romances não colam comigo :/ Não curto mesmo e essa história também não me chamou a atenção.

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




LAYOUT DESENVOLVIDO POR VIAGENS DE PAPEL – NÃO COPIE, CRIE! – COPYRIGHT © 2015