7 de dezembro de 2015

Crítica: Malala, de Adriana Carranca, Christina Lamb e Viviana Mazza

Obras sobre Malala Yousafzai (foto: Nara Dias)
Avaliação: 5/5
Editora: Companhia das Letrinhas/Cortesia 
ISBN: 978857466707
Gênero: Biografia/Infantojuvenil
Páginas: 96 
Publicação: 2015
Skoob
Malala - a menina que queria ir para a escola 

Através da mídia, todos puderam conhecer Malala Yousafzai, jovem paquistanesa que aos catorze anos foi baleada por membros do Talibã por defender os direitos das meninas de irem à escola. Em um lugar onde mulheres devem andar sempre cobertas e nunca desacompanhadas de um homem ou parente da família, Malala sente o mesmo amor pela educação que seu pai, por isso ergue sua voz.

Esse livro é por inteiro apaixonante, mas confesso que a capa é o primeiro grande atrativo e o fato de ser a biografia de Malala, uma personagem tão curiosa e cativante rapidamente despertou ainda mais meu interesse. Esse foi o primeiro livro-reportagem destinado ao público infantil. Olhando com mais atenção, percebi que as ilustrações foram feitas por Bruna Assis Brasil, de quem sem dúvidas sou fã, pelo trabalho lindo que sempre faz mesclando desenhos, elementos e texturas.

A história é narrada de forma simples por Adriana Carranca, jornalista experiente em cobrir reportagens em lugares de grande tensão. O texto foi dividido em 10 capítulos, sendo que nos 3 primeiros ela se dedica a contar um pouco da história política do Paquistão,  explicar sua trajetória para conseguir chegar ao país e dificuldades até conseguir juntar as informações necessárias para compor a história de Malala.


A obra é ricamente ilustrada, todas as palavras e termos que mostram as tradições islâmicas e lugares paquistaneses são explicados caprichosamente em notas no fim de cada página. Existe também um caderno de fotos, que sem dúvidas torna a história ainda mais real. 


(foto: Nara Dias)
Recomendo esse livro por ter sido feito carinhosamente para as crianças com o objetivo de mostrar a história  de Malala de forma tão completa.


"Como lia muito, Malala sabia muito também. Por isso quando falava, todos a ouviam. Era com ela que o pai gostava de discutir política, porque Malala tinha opinião sobre tudo. E o que fazia Malala ser tão especial? O querer saber, oras! Às vezes, ela perguntava às pessoas, outras aos livros, mas não ficava sem resposta."


Avaliação: 5/5
Editora: Companhia das Letras/Cortesia  
ISBN: 9788535923438
Gênero: Biografia
Páginas: 342
Publicação: 2013
Eu sou Malala: A História da Garota que Defendeu o Direito à Educação e Foi Baleada pelo Talibã

Esse é o livro mais completo que li sobre Malala, jovem simples, mas que demonstrou desde muito criança sua maturidade e determinação ao lutar pela educação das meninas. Ela conhece a rusticidade da aldeia onde seus parentes vivem, em um lugar quase que esquecido pelo restante do próprio país e também passa a conhecer lugares mais modernos, bem diferentes do seu cotidiano tranquilo no Swat. O livro é dividido em 24 capítulos, possui um glossário ao final que explica os termos utilizados e algumas fotos de Malala.

O relato, escrito sob a perspectiva da própria Malala, que é quem narra toda a história, com a parceria da jornalista Christina Lamb, me deixou impressionada e extremamente triste por contar detalhadamente como o Talibã foi tomando força, se aproveitando das necessidades de uma população ignorante, mas cheia de fé e crenças. Na medida que conquistava ouro, dinheiro e apoio da população por parecer ser um líder bom,  maulana Fazlullah aos poucos vai mostrando quais eram suas verdadeiras intenções, fazer com que todos obedeçam fielmente e sem questionar às ordens divulgadas através do único meio de comunicação em massa permitido, já que aos poucos ele proíbe, confisca e destrói aparelhos de televisão, reforçando a vontade do Talibã à base de terror para com aqueles que não venham a cumprir.


Porém não é apenas o Talibã que me deixa estarrecida, mas também o exército que em diversos momentos tenta recuperar o domínio, além dos políticos que apoiam um ou outro lado. Ler sobre os bombardeios, a falta de eletricidade constantes, a violência e a ignorância, tudo através da visão de uma menina, é sem dúvida impactante. Malala viveu em meio a tudo isso, sempre com muito amor pelo país de origem, seguindo sua religião e estudando o Alcorão, ao contrário do que o Talibã afirma sobre ela, jamais defendeu o ocidentalismo, apenas o direito de poder estudar e aprender sobre seu próprio país e o mundo.


Esse livro mostra seu pai como grande modelo. Com ele, Malala aprendeu que a educação é capaz de mudar tudo. Sempre foram cúmplices nas conversas políticas que compartilharam, participaram de entrevistas e discursos. Nunca sentiram medo de falar a verdade, nem se intimidavam por mostrar seus rostos na mídia. Por causa de seus incansáveis esforços, Malala recebeu diversos prêmios, por isso em 9 de outubro de 2012, quase pagou com sua própria vida.


O atentado que sofreu, na volta da escola, deixou o mundo atônito e fez com que todos voltassem seus olhos para os problemas enfrentados no Paquistão. Sua recuperação milagrosa fez com que o Talibã não triunfasse, pelo contrário, mostrou que não conseguiu calar a voz de uma menina corajosa. Separei inúmeras frases do livro, porque nele, Malala transborda seu coração, cheio de amor e vontade de aprender e não deixar de lutar por suas amigas. A história termina de forma triste, porque Malala não vive mais em sua querida e amada terra, mas nem por isso deixou de lutar e acreditar que ainda poderá fazer muito em favor de todas as meninas do Paquistão e do mundo.

"Tenho orgulho de que meu país tenha sido criado como a primeira pátria muçulmana... Alguns muçulmanos fundamentalistas pensam que o Islã significa mulheres usando burdas, sentadas em casa... "
Com tanta gente morta, havia muitos órfãos... As madrasas são uma espécie de sistema de previdência, pois dão comida e alojamento... Os meninas aprendem o Corão pela repetição, balançando o corpo para a frente e para trás enquanto recitam. Aprendem também que não há coisas como ciência ou literatura, que dinossauros nunca existiram e que o homem jamais foi à Lua."
"E isso era verdade no caso de minha família. Tínhamos medo, mas ele não era tão forte quanto nossa coragem. Devemos livrar o vale do Talibã, e aí ninguém terá de sentir medo.""O Talibã podia tomar nossas canetas e nossos livros, mas não podia impedir nossas mentes de pensar."
"O pai de Malala encontra uma carta deixada em seu escritório pelo exército paquistanês, culpando a população por ter permitido o domínio do Talibã. E comenta com a filha: 'Nós, o povo do Swat, fomos seduzidos pelo Talibã, depois mortos por eles e agora levamos a culpa. Seduzidos, mortos e culpados'."
"O Talibã não é uma força organizada como imaginamos", disse Hidayatullah, ao discutir o assunto com meu pai. Trata-se de uma mentalidade, e essa mentalidade está espalhada por todo o Paquistão. Quem é contra os Estados Unidos, contra o sistema do Paquistão, contra a legislação inglesa, foi infectado pelo Talibã"
"Meu pai acreditava que se o Talibã viesse atrás de alguém, esse alguém seria ele, não eu. Disse que sentiu como se tivesse sido atingido por um raio. "Eles quiseram matar dois pássaros com uma pedra só: eliminar Malala e me silenciar para sempre." 

Avaliação: 3/5
Editora: Agir 
ISBN: 9788522015740
Gênero: Biografia
Páginas: 190
Publicação: 2013
Malala: a menina mais corajosa do mundo

Malala tinha apenas 11 anos de idade quando decidiu lutar para que mulheres e meninas tivessem os mesmos direitos que os homens em seu país, o Paquistão. Com o apoio de sua família, Malala escolheu a gritar um basta às diferenças. Lutou sem armas ou violência, com a coragem das palavras e da educação, com a força da verdade e da inocência. Aos quinze anos, em um dia como outro qualquer a caminho da escola, Malala descobriu que o Talibã queria matá-la. De maneira grandiosa e emocionante, este livro revela a trajetória, os medos e os sonhos da mais jovem candidata ao Prêmio Nobel da Paz. 

Esse foi o primeiro livro que ganhei sobre Malala, estava tão ávida por conhecer sua história que devorei cada página, porém ao fim da leitura continuava curiosa de detalhes. O livro contou a biografia da menina mais corajosa do mundo, fiquei feliz ao terminar o livro, mas minha curiosidade ainda não estava completamente satisfeita.

A história é dividida por capítulos que não são numerados, apenas possuem um título, ilustração e às vezes a data, o que achei muito bom, mais fácil de não me perder no decorrer da história. Após a introdução, os dois primeiros capítulos são usados para narrar o trágico dia em que Malala é baleada. Em seguida, a história é narrada para entender o que aconteceu até o dia do atentado. Recomendo o livro para aqueles que querem saber como foi a história sem se embrenhar muito na política e conflitos, pois permite conhecer a vida dessa adolescente, porém com uma visão geral de tudo.


 "Os talibãs tentaram tirar sua vida, mas a tornaram mais forte."
 Por Nara Dias

7 comentários:

  1. Que postagem genial, vou indicar lá nas fanpages, arrasou. eu posso querer os três livros, inclusive o de criança? Gente, sou encantada com a história dela. Achei fabuloso você trazer as três obras. encantada, encantada!

    ResponderExcluir
  2. Olá Nara. Fico feliz de saber que a Malala conseguiu ter um livro pra expressar o que tanto foi calado. Interessante!
    bjsss
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Nara, tudo bom? Adorei a resenha tripla! Dá pra traçar um paralelo das obras. Fiquei encantada com a edição infantil, achei de uma delicadeza que *----*
    Parabéns pelo post!


    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  4. Oi Nara,
    Seu post está bem bacana. Eu ainda não li nada sobre Malala, conheço um pouco de sua história pelo que as pessoas falam, mas ainda não li. Isso por falta de oportunidade mesmo, pois vontade tenho bastante. Quero começar por "Eu sou Malala".
    Beijos
    Historiar

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu conheço a história dessa menina pela mídia. É uma menina muito corajosa que tem um futuro brilhante pela frente.
    Gostei muito dos livros e suas ilustrações.
    Beijinhos!
    http://eraumavezolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu tenho muita vontade de ler a biografia da Malala e adorei saber que tem uma versão para os pequenos, e que linda a edição!
    Acho muito importante que a história dela chegue para todos de todas as idades.
    Espero poder ler em breve.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi! Adorei seu post!!! De verdade! Estou querendo ler a biografia da Malala faz tempo e me programei para ler esse ano. Seu post só me deixou com mais vontade! Realmente é uma história de vida incrível e acho que todos deveriam ler. Beijos.

    http://eicarolleia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...




LAYOUT DESENVOLVIDO POR VIAGENS DE PAPEL – NÃO COPIE, CRIE! – COPYRIGHT © 2015